NILSON RUTIZAT
Escrever para mim é como respirar, eu preciso escrever para continuar vivo.
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Prêmios Contato Links
Textos
Não julgue o corno, julgue a mulher dele.
Já vi de tudo nessa vida, mas nada é tão assustador quanto corno zangado.
O pobre do corno é o último a saber e o primeiro a zangar. O pior é o falatório, o povo fica julgando o pobre do traído. Porra! O cara foi traído, que culpa ele tem? Julgue a mulher dele. Mas o povo insiste em falar mal do pobre do traído. E o corno nada mais faz se não chorar e pedi para mulher voltar. Pois é, ela trai e vai embora, e o corno ainda pede perdão a ela. Sabe onde isso acontece? Na sua rua, na sua vizinhança e quem sabe, na sua casa.
Nilson Rutizat
Enviado por Nilson Rutizat em 17/11/2010
Alterado em 18/07/2011
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários